HomeDiagramsDatabaseMapsForum About
     

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Infraestrutura & Transporte


Reply

 
Thread Tools Display Modes
     
     
  #1  
Old Posted May 30, 2013, 11:29 AM
AlexandreMachado's Avatar
AlexandreMachado AlexandreMachado is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: São Paulo
Posts: 75
Transporte por Trilhos | São Paulo (SP) - Metrô




Imagens: Wikipédia


História

A Companhia do Metropolitano de São Paulo - Metrô foi constituída no dia 24 de abril de 1968. As obras da Linha Norte-Sul foram iniciadas oito meses depois. Em 1972, a primeira viagem de trem foi realizada entre as estações Jabaquara e Saúde. Em 1974, o trecho Jabaquara - Vila Mariana começou a operar comercialmente.
Hoje, o Metrô de São Paulo possui quatro linhas em operação, 65,3 quilômetros de rede, 58 estações, 150 trens e transportou, no ano de 2012, 1.098 milhões de passageiros.

Em 2010, foi inaugurado o primeiro trecho da Linha 4-Amarela, a primeira a ser operada em regime de concessão pelo Consórcio Via Quatro. Em 2011, outras quatro estações foram entregues e a Linha 4-Amarela passou a funcionar entre Luz e Butantã. Atualmente, a linha possui 6 estações, 8,9 quilômetros de extensão e 14 trens. Com isso, a malha metroviária chega a 74,2 quilômetros de extensão e 64 estações.

As Linhas 1-Azul (Jabaquara - Tucuruvi), 2-Verde (Vila Prudente - Vila Madalena), 3-Vermelha (Corinthians-Itaquera - Palmeiras-Barra Funda) e 5-Lilás (Capão Redondo - Largo Treze) funcionam todos os dias a partir das 4h40min (consulte os horários de fechamento de cada estação). As estações da Linha 4-Amarela funcionam de domingo a sexta das 4h40 à meia-noite e aos sábados das 4h40 à 1h de domingo.

O sistema está integrado à CPTM nas estações Luz, Pinheiros, Tamanduateí, Brás, Palmeiras-Barra Funda, Tatuapé, Corinthians-Itaquera e Santo Amaro e aos outros modais de transporte na cidade de São Paulo.
Diariamente, a malha metroviária transporta cerca de 4,5 milhões de passageiros.

Em agosto de 2012 o Metrô de São Paulo ultrapassou a marca de 22 bilhões de passageiros transportados desde a sua inauguração em 1974, destacando-se mundialmente pelos resultados obtidos na produção e na qualidade do serviço de transporte público de passageiros sobre trilhos.



Fonte: Metrô São Paulo


Mapa da Rede Metroviária



Fonte: Wikipédia




Frota do Metrô


Frota A








Frota C








Frota D








Frota E








Frota F








Frota G








Frota H








Frota I (Frota A reformada)








Frota J (Frota A reformada)








Frota K (Frota C reformada)








Frota L (Frota D reformada)








ROTEM (Empresa Via Quatro)







Frota P






Imagens: Flickr (Os créditos das imagens estão no site)


Última atuallizacão: 27/11/2013

Last edited by AlexandreMachado; May 20, 2014 at 7:08 PM.
Reply With Quote
     
     
  #2  
Old Posted May 30, 2013, 11:55 AM
AlexandreMachado's Avatar
AlexandreMachado AlexandreMachado is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: São Paulo
Posts: 75
INFORMAÇÕES SOBRE A DEMANDA



DEMANDA DE PASSAGEIROS POR LINHA - ANO: 2012




ENTRADA DE PASSAGEIROS POR ESTAÇÃO / MÉDIA DOS DIAS ÚTEIS - 2012



* Dez estações de maior movimento
(1) Dados das entradas em milhares.
(2) Quantidade de usuários que embarcam na Linha 1–Azul
(3) Quantidade de usuários que embarcam na Linha 2–Verde
(4) Quantidade de usuários que embarcam na Linha 3–Vermelha
(5) O total pode ser diferente da soma das partes devido ao arredondamento

Em 2012, a estação Palmeiras – Barra Funda teve o maior número de entradas do sistema, registrando um total de 59,5 milhões de usuários.


Dados/Imagens: Metrô

Last edited by AlexandreMachado; May 22, 2014 at 12:00 AM.
Reply With Quote
     
     
  #3  
Old Posted May 30, 2013, 6:09 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,415
Tinha visto esse Infográfico no site do terra, mas não tinha onde postar, agora tem

A evolução das obras do metrô / CPTM



































































__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #4  
Old Posted May 30, 2013, 6:16 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,415
A evolução das obras do metrô / CPTM

Custos das obras























__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #5  
Old Posted May 30, 2013, 6:44 PM
AlexandreMachado's Avatar
AlexandreMachado AlexandreMachado is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: São Paulo
Posts: 75
Boa, já temos mapa da rede futura! Bora começarmos a publicar coisas neste thread do Metrô e da CPTM, organizando as discussões e deixando mais simples e confortavel pra procurar as informações! Falta pouco pra finalizar o thread da CPTM!
Reply With Quote
     
     
  #6  
Old Posted May 30, 2013, 7:23 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 23,586
Apesar que esse mapa em 2020 deveria ser 2014.
Reply With Quote
     
     
  #7  
Old Posted May 31, 2013, 11:21 AM
AlexandreMachado's Avatar
AlexandreMachado AlexandreMachado is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: São Paulo
Posts: 75
Verdade! Mas eles consideraram como projetos futuros, talvez por causa dos adiamentos, licitações, etc, que costumam emperrar a obra. Mas o mapa da rede futura mostrando as linhas e o custo que será de cada linha é muito legal!

Last edited by AlexandreMachado; May 31, 2013 at 8:01 PM.
Reply With Quote
     
     
  #8  
Old Posted May 31, 2013, 2:35 PM
salengasss salengasss is offline
Registered User
 
Join Date: May 2011
Posts: 1,426
Muito bom ver Sampa sendo projetada para a construção de novas estações de metrô.
Enquanto isso, em Brasília, não vemos o prolongamento do metrô para a Asa Norte, Ceilândia e Samambaia.
Reply With Quote
     
     
  #9  
Old Posted Jun 1, 2013, 1:15 AM
AlexandreMachado's Avatar
AlexandreMachado AlexandreMachado is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: São Paulo
Posts: 75
Já era tempo de aumentar a malha metroferroviária de SP...a cidade precisa do Metrô, a cidade carece de alternativas de transporte, sobretudo pelo fato de haver saturação de sistemas de transporte(os coletivos, metrô, trem, transito, etc)...Não há mais espaço em cima, agora a alternativa está embaixo, e também através do monotrilho.
Reply With Quote
     
     
  #10  
Old Posted Jun 7, 2013, 7:40 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,415
Cidade de São Paulo deixaria de produzir R$ 6,15 bilhões se metrô não existisse, diz estudo



São Paulo – Um estudo apresentado hoje (7) mostrou que, se o metrô paulistano deixasse de existir, a economia local perderia R$ 6,15 bilhões por ano, o equivalente a 1,7% do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no município) da capital paulista. O estudo fez parte de um workshop promovido na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (USP), em que foram mostradas pesquisas sobre os impactos da existência do metrô no município sob vários aspectos, como economia, acessibilidade e saúde.

Segundo o professor Eduardo Haddad, coordenador da pesquisa, os cálculos foram baseados na infraestrutura ligada à mobilidade e no modo como ela afeta a produtividade dos trabalhadores. “Isso, por sua vez, afeta a competitividade das firmas, e, através de relações de renda, produtivas e comerciais, afeta toda a economia brasileira”, disse Haddad, que é professor do Departamento de Economia da USP e diretor de Pesquisas da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Com as pessoas que usam o transporte público demorando mais a chegar ao trabalho, elas tornam-se menos produtivas e as empresas obtêm menos lucro, fazendo com que o governo arrecade menos, destaca a pesquisa. Outro ponto levantado na consulta foi que a redução do bem-estar proporcionado pelo metrô faria o consumo das pessoas cair e, com isso, diminuiria a arrecadação governamental.

Além disso, como a capital paulista é um grande polo econômico, a inexistência do metrô geraria impacto negativo na economia nacional – o país perderia R$ 19,3 bilhões por ano, o correspondente a 0,6% do PIB. “Apesar de ser uma infraestrutura local, o metrô [de São Paulo] causa impacto sobre toda a economia brasileira”, conluiu Haddad.

Ao longo de 74 quilômetros e 64 estações, o metrô paulistano transporta diariamente 4 milhões de passageiros, o equivalente a 20% das viagens no transporte público. De acordo com Haddad, o valor de R$ 19,3 bilhões ao ano (impacto no país) corresponde a 65% dos custos da construção de toda a rede do metrô. A despesa com cada quilômetro do metrô fica em torno de R$ 300 milhões.

Na opinião do pesquisador, o exemplo da capital paulista pode ser pensando para outros municípios. “Isso é importante não apenas para São Paulo, mas, quando se pensa em mobilidade em outras grandes cidade brasileiras, esse problema também se coloca”.












http://www.istoedinheiro.com.br/noti...SSE+DIZ+ESTUDO
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #11  
Old Posted Jun 7, 2013, 9:56 PM
AlexandreMachado's Avatar
AlexandreMachado AlexandreMachado is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: São Paulo
Posts: 75
Que interessante! Imagine se em SP tivessemos os mais de 400 km que existem no metrô de Londres...ainda bem que acordaram e começaram a pôr varias linhas em obras ao mesmo tempo!
Reply With Quote
     
     
  #12  
Old Posted Jul 14, 2013, 12:35 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,415
Empresa alemã Siemens delata cartel em licitações do metrô de SP



A multinacional alemã Siemens delatou às autoridades antitruste brasileiras a existência de um cartel --do qual fazia parte-- em licitações para compra de equipamento ferroviário, além de construção e manutenção de linhas de trens e metrô em São Paulo e no Distrito Federal.

Gigante da engenharia, a empresa já foi condenada em outros países por conduta contra a livre concorrência.

A Folha apurou que o esquema delatado pela companhia envolve subsidiárias de multinacionais como a francesa Alstom, a canadense Bombardier, a espanhola CAF e a japonesa Mitsui.

Essas empresas e a Siemens são as principais candidatas a disputar o megaprojeto federal do trem-bala que ligará Rio e São Paulo. O leilão deve ser no mês que vem.

Combinações ilícitas entre empresas podem resultar em contratações com preços superiores (entre 10% e 20%, segundo estimativas) aos praticados caso elas concorressem normalmente.

No início do mês, a Superintendência-Geral do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) realizou busca e apreensão nas sedes das companhias delatadas. A Operação Linha Cruzada executou mandados judiciais em São Paulo, Diadema, Hortolândia e Brasília.

Segundo as denúncias, o cartel atuou em ao menos seis licitações. Mas ainda não se sabe ao certo o tamanho real, alcance, período em que atuou e o prejuízo causado.

Ao entregar o esquema, a Siemens assinou um acordo de leniência, que pode garantir à companhia e a seus executivos isenção caso o cartel seja confirmado e condenado.

A imunidade administrativa e criminal integral é assegurada quando um participante do esquema --antes que o governo tenha iniciado apuração-- denuncia o cartel, suspende a prática e coopera com as investigações.

No caso de condenação, o cartel está sujeito a multa que pode chegar a 20% do faturamento bruto da empresa no ano anterior à abertura de processo pelo Cade.

No final da década de 90, houve uma troca no comando mundial da Siemens depois de escândalos de pagamento de propina em vários países. A empresa foi punida no exterior por formação de cartel.

A análise do material apreendido levará até três meses. Confirmados os indícios de cartelização, o Cade abrirá processo contra as envolvidas. O conluio, segundo a apuração, inclui outras sete empresas: TTrans, Tejofran, MGE, TCBR Tecnologia, Temoinsa, Iesa e Serveng-Civilsan.












http://www1.folha.uol.com.br/cotidia...ro-de-sp.shtml
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #13  
Old Posted Aug 2, 2013, 11:47 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,415
Siemens diz que governo de São Paulo deu aval a cartel no metrô



A multinacional alemã Siemens apresentou às autoridades brasileiras documentos nos quais afirma que o governo de São Paulo soube e deu aval à formação de um cartel para licitações de obras do metrô no Estado.

A negociação com representantes do Estado, segundo a Siemens, está registrada em "diários" apresentados pela empresa ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

No mês passado, a gigante da engenharia delatou ao órgão a existência de um cartel --do qual fazia parte-- para compra de equipamento ferroviário, além de construção e manutenção de linhas de trens e metrô em São Paulo e no Distrito Federal.

Em troca, a empresa assinou um acordo de leniência que pode lhe garantir imunidade caso o cartel seja confirmado e punido.

A formação do cartel para a linha 5 do metrô de São Paulo, de acordo com a Siemens, se deu no ano de 2000, quando o Estado era governado pelo tucano Mário Covas, morto no ano seguinte.

Segundo o Cade, o conluio se estendeu ao governo de seu sucessor, Geraldo Alckmin (2001-2006), e ao primeiro ano de José Serra, em 2007.

Secretário de transportes no governo Covas, entre 1995 e 2001, Cláudio de Senna Frederico afirmou que não teve conhecimento da formação de cartel, mas não o descartou. "Não me lembro de ter acontecido uma licitação, de fato, competitiva", disse.

Imagem: Editoria de arte/Folhapress



O governo Alckmin diz que, se confirmado o cartel, pedirá a punição dos envolvidos. Serra não foi localizado.

Documento entregue pela Siemens aponta o suposto aval do governo em favor de um acerto entre empresas para a partilha da linha 5, em trecho hoje já em operação.

Chamado de "grande solução", o acerto era, segundo os papéis, o desfecho preferida pela "secretaria" [de transportes] por oferecer "tranquilidade na concorrência".

Consistia em formar um consórcio único para ganhar a licitação e depois subcontratar empresas perdedoras, o que, de fato, ocorreu.

No documento, de fevereiro de 2000, os executivos da Siemens descrevem reuniões para a costura do cartel.

Numa delas, é relatado que "o fornecimento dos carros [trens] é organizado em um consórcio 'político'. Então, o preço foi muito alto".

"Consórcio combinado, então, é muito bom para todos os participantes", relata um executivo da Siemens.

A Siemens diz que um acordo permitiu ampliar em 30% o preço pago em outra licitação para manutenção de trens da CPTM.










http://www1.folha.uol.com.br/cotidia...no-metro.shtml
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #14  
Old Posted Sep 28, 2013, 4:31 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,415
Trem pagador


E-mails, agenda e depoimento de secretária ao Ministério Público revelam como operava Jorge Fagali Neto, o homem da propina no escândalo do Metrô de São Paulo


Uma disputa travada na Justiça do Trabalho revelou como opera um dos principais agentes do propinoduto montado por empresas da área de transporte sobre trilhos em São Paulo para drenar dinheiro público dos cofres da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e do Metrô paulista. Trata-se do consultor Jorge Fagali Neto, indiciado pela Polícia Federal sob a acusação de receber e intermediar o pagamento de propinas da multinacional francesa Alstom a autoridades do PSDB paulista. ISTOÉ teve acesso ao depoimento e a uma série de e-mails comprometedores entregues ao Ministério Público, em junho de 2010, por sua ex-secretária Edna da Silva Flores. A documentação deixa clara a proximidade de Fagali Neto com agentes públicos e o seu interesse em contratos do Metrô paulista e da CPTM. Nas mensagens, o consultor revela, por exemplo, preocupações com a obtenção de empréstimos e financiamentos junto ao Banco Mundial (Bird), BNDES e JBIC que viabilizem investimentos nas linhas 2 e 4 do Metrô paulista.

Foto: Haroldo Junior


OPERADOR

Indiciado pela Polícia Federal, acusado de intermediar pagamento
de propina, Fagali Neto matinha frequentes contatos com
agentes públicos sobre obras do Metrô e da CPTM

O material entregue por Edna ao Ministério Público demonstra pela primeira vez a ligação direta de Fagali Neto com os irmãos Teixeira, Arthur e Sérgio, apontados como lobistas do esquema Siemens e responsáveis por pagar propina a políticos por intermédio de offshores no Uruguai, conforme revelou reportagem de ISTOÉ em julho. Em um trecho de seu depoimento ao MP, Edna diz que os três mantinham “relacionamentos empresariais” e “atuavam antes da assinatura de contratos” com o governo de São Paulo. Copiados por Fagali em uma série de e-mails envolvendo contratos com as estatais paulistas de transporte sobre trilhos, os irmãos Teixeira também têm seus nomes citados na agenda pessoal de Fagali Neto. Em uma das páginas da agenda, está registrado um encontro com Sérgio Teixeira, hoje falecido, às 11 horas na alameda Santos, no Jardim Paulista, região nobre de São Paulo. Em outra, constam o telefone, o e-mail e o nome da secretária de Arthur Teixeira.

Credito


ELO ENTRE OS ESQUEMAS

Segundo depoimento de ex-secretária de Fagali Neto ao MP, ele atuava em
parceria com Arthur Teixeira (em destaque), apontado como lobista do esquema Siemens

A ex-funcionária narra também os cuidados do antigo chefe com eventuais investigações. No período de 2006 a 2009, em que trabalhou para Jorge Fagali Neto organizando o seu escritório, ele a mandava se ausentar do seu gabinete quando precisava se reunir com clientes. Também a pedido de Fagali Neto, ela comprou quatro celulares para que os aparelhos fossem usados por ele apenas para tratar de negócios. O consultor acreditava que assim dificultaria interceptações policiais. A espécie de “faz tudo” da empresa era proibida até de mencionar ao telefone os nomes de representantes de companhias às quais Fagali prestava consultoria. Ela ainda recebeu orientação para se referir a personagens do círculo de negócios do consultor por apelidos. José Geraldo Villas Boas – também indiciado pela PF por ter participado do esquema de corrupção – era chamado de “Geólogo”. O temor do consultor em não deixar rastros era tão grande que ele fazia questão de pagar tudo em espécie. “Ele sempre mantinha algumas quantias em local desconhecido em sua casa”, disse. A ex-secretária afirma no depoimento que ele costumava emitir, por meio da empresa BJG Consultoria e Planejamento Ltda., notas de R$ 260 mil e R$ 180 mil, mesmo tendo apenas ela como funcionária. Pelo jeito, dinheiro não faltava para o operador do esquema do propinoduto tucano. Em 2009, o ex-secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo (1994) e ex-diretor dos Correios (1997) na gestão Fernando Henrique Cardoso teve uma conta atribuída a ele com mais de R$ 10 milhões bloqueada por procuradores suíços. Procurado, o advogado de Fagali Neto, Belisário dos Santos Jr., diz que os e-mails foram obtidos pela ex-funcionária por meio de fraude junto ao provedor. Ele, no entanto, não quis se pronunciar sobre o teor das mensagens.

Apesar das tentativas de Fagali de manter a discrição, segundo sua ex-secretária, o elo do homem da propina no escândalo do Metrô com agentes públicos ligados ao PSDB é irrefutável. Em 2006, Fagali trocou mensagens e recebeu planilhas por e-mail de Pedro Benvenuto, então coordenador de gestão e planejamento da Secretaria de Transportes Metropolitanos, órgão responsável pelas estatais. Entre o material compartilhado, como revelou o jornal “Folha de S.Paulo” na última semana, estavam as discussões sobre o Programa Integrado de Transportes Urbanos do governo até 2012, que ainda não estava definido. Até a quarta-feira 25, Pedro Benvenuto ocupava o cargo de secretário-executivo do Conselho Gestor do Programa de PPPs (Parcerias Público-Privadas) do governo de São Paulo, quando pediu demissão na esteira das denúncias.












http://www.istoe.com.br/reportagens/...a=internalPage
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #15  
Old Posted Sep 28, 2013, 4:38 PM
AlexandreMachado's Avatar
AlexandreMachado AlexandreMachado is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: São Paulo
Posts: 75
Metrô executa obras na futura estação Oscar Feire neste domingo

A Companhia do Metrô dará continuidade às obras de implantação da futura estação Oscar Freire, da Linha 4 - Amarela (Butantã-Luz) no próximo domingo (29). Os principais serviços previstos para este dia são a concretagem do console, pilares e vigas intermediárias de uma das plataformas de embarque e desembarque que possibilitarão a construção desta plataforma. Em decorrência das obras, a circulação de trens na Linha 4 será interrompida entre as estações Faria Lima e Paulista durante todo o domingo.


A partir da 1 hora de domingo, com o encerramento da operação comercial do sábado (28), operários da Corsán-Corviam, construtora contratada pelo Metrô para executar os serviços de obras civis na futura estação, iniciarão os serviços com previsão de término no final da noite do dia 29, domingo. Essa plataforma, que teve as obras iniciadas em setembro, será concluída em outubro.


As plataformas, quando concluídas totalmente, terão 136 metros de extensão e 5,15 metros de largura cada uma. Essas áreas, assim com as outras na Linha 4- Amarela, a mais moderna linha metroviária em operação na cidade de São Paulo, contarão com piso feito de porcelanato, trilha tátil para facilitar a mobilidade de pessoas com deficiência visual e portas de plataforma para aumentar a segurança nos momentos de embarque e desembarque.

Essa estação faz parte da segunda fase da Linha 4 - Amarela e tem previsão de entrega em 2014.



Operação Comercial no sistema metroviário no domingo

Durante todo o horário comercial do domingo, das 4h40 à meia-noite, o trecho entre as estações Faria Lima e Paulista ficará sem circulação de trens por causa das obras na futura estação Oscar Freire. Para atender os usuários, a concessionária Via Quatro, que opera a Linha 4-Amarela, acionará o sistema PAESE (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência) para oferecer transporte complementar aos passageiros no trecho interditado.

Em razão das atividades no trecho entre Paulista e Faria Lima, a operação da estação Pinheiros também terá alteração nos próximos quatro domingos. Os trens irão circular em uma única via durante o horário operacional e, assim, embarque e desembarque serão realizados na mesma plataforma, tanto com destino a Butantã como a Faria Lima.

Os serviços previstos para o domingo, que tipicamente é o dia com menor circulação de usuários no sistema metroviário, não impedirão que os passageiros façam as transferências desejadas entre a Linha 4 e as linhas 1, 2 e 3, respectivamente nas estações Luz, Consolação e República durante o funcionamento do sistema.

Os usuários serão orientados por sinalização em todas as estações da Linha 4-Amarela com cartazes, banners e balcões de informação, mensagens sonoras e veiculação de informações nos monitores do circuito fechado de TV das estações, plataformas e trens.
Reply With Quote
     
     
  #16  
Old Posted Sep 28, 2013, 4:47 PM
AlexandreMachado's Avatar
AlexandreMachado AlexandreMachado is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: São Paulo
Posts: 75
Quote:
Originally Posted by MAMUTE View Post
Essa história ainda vai longe...

Agora quero ver o que eles vão fazer pra obter mais provas, sobretudo concretas uma vez os documentos do Metrô que mostravam as licitações que foram feitas desde o ínicio de operação do Metrô, foram incendiados.
Reply With Quote
     
     
  #17  
Old Posted Oct 5, 2013, 8:08 PM
AlexandreMachado's Avatar
AlexandreMachado AlexandreMachado is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: São Paulo
Posts: 75
Metrô realizará serviços de manutenção na Linha 5 - Lilás no próximo domingo


Neste domingo (6), todas as estações da Linha 5 - Lilás ficarão fechadas ao público das 4h40 às 9 horas. A medida é necessária para que possam ser executados serviços de manutenção na rede aérea de alimentação elétrica dos trens. A atividade terá início durante a madrugada, logo após o encerramento da operação comercial do sábado, e deverá se estender até o início da manhã do domingo.

Nesse período, os usuários serão atendidos gratuitamente por ônibus do sistema PAESE (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência), da SPTrans e da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), que circularão ininterruptamente entre as estações Capão Redondo e Largo Treze. Os usuários provenientes da Linha 9 - Esmeralda da CPTM, que fazem transferência gratuita para o Metrô na estação Santo Amaro, também serão atendidos pelo sistema PAESE.

Para informar sobre a alteração na operação dessa linha, a partir de sábado, o Metrô emitirá mensagens sonoras pelos sistemas de som das estações e dos trens e colocará cartazes nas estações da Linha 5 -Lilás. Avisos também serão veiculados nas redes sociais em que o Metrô tem identidade.
Reply With Quote
     
     
  #18  
Old Posted Oct 31, 2013, 1:54 PM
AlexandreMachado's Avatar
AlexandreMachado AlexandreMachado is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: São Paulo
Posts: 75
Alckmin apresenta trem da Linha 15 do Metrô: 'maior monotrilho do mundo'

Governador participou de vistoria às obras da nova linha do Metrô, que deve ser inaugurada, na primeira fase, em janeiro de 2014


Composições terão capacidade para levar até 1 mil passageiros, segundo estimativa do governo
Foto: Edson Lopes Jr./Governo de SP / Divulgação


O governo de São Paulo apresentou nesta quarta-feira o primeiro trem do monotrilho da Linha 15-Prata do Metrô, que interligará as estações Ipiranga e Hospital Cidade Tiradentes, com a expectativa de reduzir o tempo de viagem de 2 horas para 50 minutos. Presente na vistoria ao trem, o governador Geraldo Alckmin destacou que se trata do "maior monotrilho do mundo".

"Esse é o primeiro monotrilho brasileiro, o primeiro fabricado no Brasil e o maior monotrilho do mundo", disse Alckmin. O monotrilho poderá transportar até 48 mil passageiros por hora e por sentido (capacidade projetada). De acordo com o governo, essa capacidade será alcançada graças ao sistema automático de controle de tráfego, que permite um intervalo de circulação entre trens de até 75 segundos.

"Ele tem capacidade para mil passageiros e equivale a 15 ônibus, ou seja, vamos tirar 15 ônibus das ruas", detalhou o governador. Cada composição é formada por sete carros, com 86 metros de comprimento por 3,15 metros de largura, e capacidade para transportar mais de 1 mil passageiros por viagem.

Os trens contam com sistema de ar-condicionado, interligação entre carros, operação automática (sem a necessidade de operador no veículo) e sistema de câmeras com monitoramento em tempo real. São quatro portas por carro, duas em cada lateral. "É um grande ganho para a população: transporte de qualidade, de alta capacidade, rápido, direto, com conforto, com segurança e alta tecnologia", disse Alckmin.


Alckmin vistoria primeiro trem do monotrilho de São Paulo


Alckmin posa para foto com operários que trabalham nas obras da Linha 15


Trens serão totalmente automatizados, não necessitando da presença de um condutor


Alckmin destacou o fato de que os trens são construídos no interior de São Paulo


O projeto

O primeiro trecho da Linha 15-Prata é composto pelas estações Vila Prudente e Oratório, além do Pátio Oratório, que abriga o estacionamento e a oficina para manutenção dos trens. Ao todo, são 2,9 km de extensão previstos para entrega em janeiro de 2014.

"Nós teremos, daqui a 90 dias, inaugurada as duas primeiras estações, e também a maior oficina do Brasil, com 12 mil metros quadrados. Agora, em novembro, ele já opera aqui na oficina experimentalmente", afirmou o governador.

No total, a Linha 15-Prata vai operar com 54 trens, de Ipiranga à Cidade Tiradentes. No primeiro trecho, que ligará Vila Prudente a Oratório, serão utilizadas quatro composições. Os trens estão em fabricação na cidade de Hortolândia, no interior de São Paulo.

Last edited by AlexandreMachado; Oct 31, 2013 at 2:07 PM.
Reply With Quote
     
     
  #19  
Old Posted Nov 6, 2013, 8:27 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,415
Consórcio Move São Paulo, com Odebrecht e Queiroz Galvão, leva linha-6 do Metrô


O consórcio Move São Paulo, formado pelas empresas Odebrecht, Queiroz Galvão, UTC Participações e o fundo de Investimento Eco Realty, venceu a licitação para a linha 6-laranja do metrô da capital paulista. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (6), após uma semana de análise técnica do processo. O contrato é de 25 anos e o custo total é de R$ 9,6 bilhões. No lançamento da linha, em janeiro, a estimativa era de que custasse R$ 7,8 bilhões.

Pela proposta apresentada pelo consórcio na semana passada, o governo de São Paulo deve dar contrapartida de R$ 606,7 milhões durante 19 anos. O montante é R$ 24,8 mil menor do que o teto previsto no edital. Essa foi a segunda vez que o governo do Estado tentou licitar o projeto.

Na primeira tentativa, em julho, nenhum interessado apresentou proposta e o governo estadual fez alterações no projeto, assumindo, por exemplo, as desapropriações. A previsão de assinatura do contrato é de 30 a 45 dias. As obras, de acordo com previsão da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional do Estado, devem ser iniciadas no primeiro semestre de 2014, com conclusão em 2020.

Única proposta

O consórcio foi o único que fez a proposta para licitação da linha 6. A linha terá início na estação Brasilândia com término na estação São Joaquim, da linha azul, passando pelos bairros Liberdade, Bela Vista, Higienópolis, Perdizes, Lapa e Freguesia do Ó.

A linha 6 tem investimento estimado em cerca de R$ 8 bilhões e 34 quilômetros de extensão. A demanda estimada pelo governo paulista é de 600 mil passageiros por dia. "A empresa poderá entregar o projeto por trecho. A expectativa é que o primeiro entre a Brasilândia (zona norte) e Água Branca (zona oeste) fique pronto em quatro anos", disse o secretário de Transportes Metropolitanos do Estado, Jurandir Fernandes. Ao todo, a linha terá 15,3 km. Conforme o projeto, o trecho deve ser feito em 27 minutos.

A linha será o primeiro projeto de metrô que a iniciativa privada participará desde o início. Na linha 4-amarela, o governo de São Paulo foi responsável por construir a linha que hoje é operada pela ViaQuatro.

O consórcio Move São Paulo divulgou nota assumindo compromisso de contribuir para as melhorias em mobilidade urbana na capital. "Vamos oferecer transporte com agilidade, conforto e segurança para milhares de passageiros."

Próxima licitação

Após anunciar o consórcio vencedor, o governo do Estado planeja os próximos editais de PPP (Parceria Público-Privada). A linha 18-bronze, que ligará a Estação Tamanduateí, na linha 2-verde, até chegar a São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul, no Grande ABC, é a próxima que será licitada.

O projeto tem custo de R$ 4 bilhões e previsão de construção de três a cinco anos. "É mais simples e rápido do que a linha 6 do metrô, uma vez que não será subterrâneo", ressalta o secretário de Planejamento e Desenvolvimento Regional do Estado, Júlio Semeghini.

O edital do projeto será discutido nessa semana pelo Conselho Gestor de PPP de São Paulo. Já Jurandir Fernandes afirmou que a tendência é de que todas as novas linhas sejam privatizadas. "As extensões das linhas atuais, como a 2-verde, nós iremos fazer, mas as novas devem ser realizadas pela iniciativa privada", afirma.

Mesmo afirmando que a linha 18 sairá do papel, Fernandes admite que é difícil dar prazo. Já o projeto de trens regionais, ligando São Paulo a Campinas, Sorocaba, Jundiaí, Santos e São José dos Campos, ainda precisa ter um dos trechos viabilizado para os demais saírem do papel. "Ainda não tenho toda a coragem de falar em trens regionais, vamos tirar primeiro o de Jundiaí do papel para ver o apetite das empresas", disse. De acordo com ele, o adiamento do trem de alta velocidade (TAV) deixa mais espaço para o projeto, que passa a ser o único foco das empresas no momento.

Contratos

Semeghini afirmou que a PPP (Parceria Público-Privada) da linha 6 do Metrô de São Paulo é a primeira de uma série de contratos que o governo paulista pretende assinar até 2014.

Segundo ele, os contratos em PPP devem produzir de R$ 50 a R$ 60 bilhões até o fim de 2014. Ele citou, por exemplo, a linha 18 do monotrilho, no valor de R$ 4 bilhões, e a construção de 20 mil casas no centro da capital, de R$ 4,6 bilhões.

Estão previstos ainda projetos de trem regional, ligando a capital a Jundiaí (SP), fábrica de remédios e construção e operação de piscinões. (Com Estadão Conteúdo e Reuters)








http://noticias.uol.com.br/cotidiano...etro-de-sp.htm
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #20  
Old Posted Nov 17, 2013, 7:09 PM
AlexandreMachado's Avatar
AlexandreMachado AlexandreMachado is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: São Paulo
Posts: 75
Metrô apresenta primeiro novo trem da Linha 5-Lilás

As demais composições serão entregues até o final do ano e ao longo do ano de 2014


Para reforçar a frota atual de 8 trens da Linha 5-Lilás (que está em obras de expansão entre as estações Largo Treze e Chácara Klabin), o Governo do Estado apresentou nesta segunda-feira, 11, o primeiro novo trem de um conjunto de 26 composições que vai operar nesta linha. O trem já está no Pátio Capão Redondo.

"Cada trem tem capacidade para dois mil passageiros, é um trem muito mais moderno. Se você comparar com esse que está aqui ao lado, de 11 anos atrás, você vai verificar o quanto avançou a tecnologia. Motorização, torque, sistemas de frenagem, duplo ar condicionado, vagão continuo, então mais conforto, mais segurança, lâmpadas led, sustentabilidade, detecção de problema de fumaça, de incêndio, enfim, é tecnologia de ponta", disse o governador.

O investimento total para fabricação dos trens foi de R$ 615,10 milhões. As demais composições serão entregues entre o final deste ano e durante o ano de 2014, para iniciarem os testes e serem liberados para a operação na Linha 5-Lilás. Agora, a nova composição passará por testes dinâmicos de validação nas vias do Metrô. A segunda composição já foi montada e finalizará os testes estáticos ainda este mês.

Os novos trens não terão mais divisão entre os carros e contarão com um amplo corredor de passagem entre um vagão e outro. A principal novidade da nova composição é sua tecnologia sustentável: a iluminação interna deste trem será por luzes de led que são mais eficientes, econômicas e duráveis em relação às lâmpadas convencionais, além da utilização de baterias alcalinas e o uso de lubrificantes ecologicamente corretos que reduzem o desgaste entre as rodas e os trilhos.


Investimento total para fabricação dos trens foi de R$ 615,10 milhões. As demais composições serão entregues entre o final deste ano e durante o ano de 2014


Alckmin apresenta o primeiro novo trem de um conjunto de 26 composições que vai operar na Linha 5-Lilás


Novos trens utilizam tecnologia sustentável com lâmpadas de led e baterias aucalinas
Reply With Quote
     
     
This discussion thread continues

Use the page links to the lower-right to go to the next page for additional posts
 
 
Reply

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Infraestrutura & Transporte
Forum Jump


Thread Tools
Display Modes

Forum Jump


All times are GMT. The time now is 12:45 PM.

     

Powered by vBulletin® Version 3.8.7
Copyright ©2000 - 2021, vBulletin Solutions, Inc.